A doença como caminho de transformação – II

Compreender os aspectos visíveis e invisíveis das doenças não é tão fácil como parece. A princípio seria só estudar as causas físicas, emocionais, intelectuais e espirituais das doenças e evitá-las. Ocorre que são infinitos os fatores envolvidos e as possíveis causas, assim querer evitar a cada e a todo fator possível seria entrar numa tremenda neurose.

Todavia, conhecer alguns princípios e leis universais da natureza, isso sim é muito útil, sendo também muito mais prático. Não entraremos nos pormenores deste mérito agora.

Continuaremos abordando o que anteriormente foi falado sobre se pagar o karma (dívidas), que aliás é uma expressão equivocada. Karma é a Lei de causa e efeito, sendo assim mais apropriado é se falar em equilibrar, aceitar o resultado da equação que fizemos. O karma gera equilíbrio. Faz nascer a responsabilidade. Desenvolve a consciência.

Ver o karma como uma equação faz sairmos da visão linear e imediatista de causa e efeito. Dentro desta equação existe a incógnita do tempo. Se pegarmos toda uma vida e traçarmos uma equação, num certo momento foi somado, depois foi diminuído, num outro momento foi dividido, depois multiplicado, houve aquele momento egoísta que só recebíamos, sendo somado várias vezes e assim por diante, no final colocamos um = qual será o resultado?

E se consideramos várias vidas, qual será o resultado?

O resultado é você hoje! Somos nós exatamente como estamos! É a nossa família como ela está! É o nosso país como ele está! É a Terra como ela está!

Ocorre que a equação é complexa e dentro dela pode existir subequações condicionadas a qualquer coisa, assim um determinado ato de egoísmo nosso hoje [em conjunto à determinada situação cósmica], pode desencadear uma subequação com efeitos bem mais expressivos do que normalmente teria.

Considerando todos os nossos erros frequentes, novas doenças surgindo, stress, depressão, discórdias, confusão e calamidades de hoje, uma coisa é certa, estamos “devendo” muito nessa equação. Se não começarmos imediatamente a mudar nossos hábitos para mais saudáveis, realizar méritos e manifestar virtudes, o efeito pode ser devastador, tanto individual como coletivamente.

Uma resposta para A doença como caminho de transformação – II

  1. Paula Helena disse:

    um amigo me disse uma vez: quando você aceita um problema (seja ele qual for) metade já está resolvido! a aceitação é o primeiro passo pra tudo; mas precisamos trabalhar pra pagar essas dívidas kármicas; trabalhar a favor da nossa essência, nossa consciência, nossas virtudes…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: