Evolução Alimentar na Natureza

Somos a imagem e semelhança de Deus. Somos triunos: corpo, alma e espírito num só. E como já vimos anteriormente, o ser humano possui a evolução da natureza dentro dele, podendo-se dar continuidade rumo ao Céu ou regredir.

Mas  em relação a alimentação, como ela evolui?

Não entraremos na vida intrauterina para não se estender demais.

Quando nascemos nossa alimentação é totalmente líquida, de leite materno, que é como um “suco super nutritivo” que dá todos os nutrientes necessários para nosso crescimento inicial. Isso acontece com todos os mamíferos. Aqui não temos nenhuma consciência alimentar, não temos muito poder de escolha (se rejeitamos passamos fome), apenas seguimos o instinto de sobrevivência e recebemos o leite da mãe. Não temos dentes, por isso ainda não há mastigação. Nossa força de vontade está apenas em mamar, engolir o leite e “matar” a fome.

Depois passamos a comer sopinhas, com um pouco mais de consistência. Passamos a perceber outros sabores, com isso um pouquinho mais de consciência alimentar adquirimos. Começamos a ter indícios de uma mastigação. Ainda somos bem dependentes do que a mãe nos dá.

Percebamos que quando estamos doentes nossa vitalidade, nosso poder de escolha, força de vontade e ânimo diminuem, então ficamos mais em casa, quietinhos, debaixo do cobertor para reter e concentrar mais nosso calor interno, comendo sopinha quente (alimentos mais líquidos). O mesmo ocorre no pós-operatório qdo ficamos internados. Tudo isso para reestabelecer a vitalidade (reino vegetal), que como já vimos é precursora do anímico (reino animal).

Voltando a nossa evolução alimentar, então vem nossa primeira dentição e já começamos a comer sólidos e mastigar. Passamos a identificar e diferenciar as formas e consistências dos alimentos, além de mais sabores. Com isso aumentamos nossa vida anímica (movimentos, sensações, emoções e desejos primitivos), aumentamos um pouco mais nossa consciência e nossa independência a processos externos (pois não há necessidade de esmagar externamente o alimento).

Nossos organismos, assim como dos animais, com esta nova fase alimentar mais independente passam por transformações, desenvolvendo-se e estruturando-se para receber, digerir e excretar  os alimentos sólidos (formas).

Até aqui podemos perceber que em relação ao sono qto mais novos mais dormimos. Quanto maior o fator de crescimento, mais nutritiva precisa ser a alimentação e mais sono precisamos. Por isso as crianças gostam de comer mais frutas e menos folhas, isso é natural. Os sabores doce e salgado são mais nutritivos que os demais (amargo, adstringente, ácido e picante).

Na adolescência iremos buscar mais sabores e formas, nossa força de vontade própria irá se expandir, buscaremos a independência do se locomover, do se expressar e do refletir/pensar sobre nós e o mundo, aumentando nossa consciência e percepção do Todo. Assim, em relação à alimentação iremos manipular mais os alimentos, criando novos sabores, outras formas e alimentos variados. Iremos escolher nosso próprio alimento.

Após este desenvolvimento e estruturação, o fator de crescimento do corpo começa a diminuir gradualmente até parar na fase adulta e então começar o corpo a ir se deteriorando gradualmente, abrindo a oportunidade para um maior crescimento anímico (da alma) rumo ao espiritual, buscando-se a essência por trás dos sabores e das formas. Percebendo que nem só de pão vive o Homem.

Assim, o mineral é precursor da vida terrena, que deu condições ao anímico (alma) se abrir à percepção e experienciação do espiritual (da Essência e Verdade por trás de Tudo).

Nosso corpo físico é um habitáculo/veículo para nossa alma e espírito. Quanto mais saudável nosso corpo e mais purificada nossa alma, maior e mais límpido será o reflexo da Luz Espiritual, mais naturalmente conseguiremos nos sintonizar, perceber e manifestar (dançar) a música de nossa Estação Fonte.

Quando nosso corpo físico e anímico estão mais “sujos”, não conseguimos nos sintonizar ou se com esforço conseguimos mais ruído há na música. Podemos até usar uma tecnologia avançada (técnicas energéticas) para diminuir o ruído , mas o esforço energético é imenso, havendo assim um fortalecimento do ego (falso-eu) e uma dependência à técnica.

Diante disto, importante é exercer nosso poder de escolha para uma alimentação natural vitalizante e evolutiva. Assim evoluimos a Natureza que somos! Evoluímos nossa Consciência, Sentido e Vontade naturalmente! Experienciamos a Natureza Cósmica, Crística ou Búdhica, nossa Natureza Espiritual Divina, nossa Natureza Original!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: