O alho e a cebola na alimentação

Existe algo mais comum na alimentação brasileira do que o alho e a cebola?

A cebola e o alho são membros da família aliáceos (alliums), juntamente com o alho-poró, cebolinha, nirá e chalotas.

O sabor e o aroma promovido pelos aliáceos impregnam o alimento como nenhum outro tempero.

Quimicamente (aspecto físico), o alho e a cebola possuem muitas propriedades conhecidas, entre elas: antibiótica, anti-inflamatória, anti-microbiana, anti-oxidante… “curando” uma variedade de doenças.

Sabemos que certos químicos tem efeito também sobre a mente e a consciência. Mas o que se sabe sobre os efeitos energéticos (sutis) e psíquicos dos Alliuns (alho, cebola, cebolinha, alho poró, chalotas…)???

Na Medicina Clássica Oriental (Ayurveda e Chinesa) isto era muito observado. Sempre era visto a relação da doença com o espírito. Nos livros clássicos de Ayurveda podemos ver como fator principal para os desequilíbrios/doenças a existência de algum conflito com a Consciência (Verdade). E na Medicina Clássica Chinesa, do mesmo modo, é visto que o Coração (Shen – Espírito) é a origem de todos os desequilíbrios e doenças. (ver postagem A doença como Caminho de Transformação – III)

Segundo a Ayurveda, clássica ciência médica indiana, os alimentos são agrupados em três categorias – sattva, rajas e tamas- que são alimentos nos modos da bondade, paixão e ignorância. Cebola e alho, e as outras plantas aliáceas são classificados como rajas e tamas, que significa que eles aumentam a paixão e ignorância.

Dentro das tradições hindus, é sabido os efeitos dos aliáceos, por isso yogues, monges celibatários e Vaishnavas – seguidores de Vishnu, Rama e Krishna – priorizam cozinhar sempre com alimentos da categoria sattva, que inclue alimentos como frutas frescas, grãos, legumes, verduras, ervas aromáticas, produtos lácteos (de vaca feliz), castanhas e assim por diante. Especificamente, os Vaishnavas, que antes de se alimentar sempre oferecem o alimento a Deus, não cozinham com aliáceos por serem impróprios de oferecer à Divindade. Alimentos rajásicos e tamásicos também não são usados por yogues e monges porque eles são prejudiciais a concentração, meditação e devoção.

Dr. Robert E. Svoboda, autoridade bem conhecida dentro da Medicina Ayurveda, diz: “Alho e cebola são rajas e tamas, e estão proibidos a yogis porque a raiz da consciência se firma mais no corpo”.

O alho e a cebola são evitadas por adeptos de práticas espirituais, porque elas irritam o sistema nervoso central (e sua ligação com os corpos sutis), além de perturbar também os votos de celibato. Pois, como é sabido na cultura popular o alho é um afrodisíaco natural.

Em Ayurveda é visto que todo veneno na dose certa, para a pessoa certa e nas circunstâncias certas, pode ser bom para algum desequilíbrio. A questão é se vale a pena os efeitos colaterais e se não existe outras alternativas melhores.

Assim, a Ayurveda também ensina que o alho pode ser usado como tônico para a perda de potência sexual por qualquer causa, debilidade sexual por impotência ou por excesso.

Na Medicina Chinesa Clássica (Taoísta), também realizada há milhares de anos, ensina que as plantas da família aliáceos são prejudiciais para os seres humanos em estado saudável. Em seus escritos, um sábio Tsang-Tsé descreveu os Alliums como os “cinco vegetais pungentes e aromáticos”, e cada um tem um efeito negativo sobre um dos cinco órgãos, sendo as cebolas prejudiciais para os pulmões, dispersando a energia primordial do elemento Metal; o alho para o coração, dispersando a energia primordial do elemento Fogo; o alho-poró ao baço/pâncreas, dispersando a energia primordial do elemento Terra; a cebolinha para o fígado, dispersando a energia primordial do elemento Madeira; e cebolas verdes [cebolas de salada ou “spring onions”] para os rins, dispersando a energia primordial do elemento Água.

Cabe aqui salientar que na Medicina Chinesa quando se fala num órgão não está se restringindo apenas ao órgão físico em si, mas toda a energia e funções afins, como por exemplo o coração que é visto como a sede do espírito-mente (Shen), que por isso envolve também questões psíquicas.

Podemos encontrar num site de Taiwan sobre alimentação descrito assim: “cebolinha e alho prejudicam o fígado e diminuem a energia da madeira; alho prejudica o coração e arruina a energia do fogo; chalotas prejudicam o baço e queimam a energia da terra; gengibre e cebolinha prejudicam os pulmões e dispersam a energia do metal; e alhos e cebolas prejudicam os rins e expelem a energia da água.”

Existe uma variedade enorme de cebolas e alhos, inclusive híbridos e modificados geneticamente, sendo por isso muitas vezes difícil de se categorizar.

Tsang-tsé também disse que estes vegetais pungentes contem cinco tipos diferentes de enzimas que causam  além de reações repulsivas no hálito, na transpiração e nas entranhas (odor extra-fétido), também leva a indulgência lasciva [luxúria], aumenta a agitação, ansiedade e agressividade, principalmente quando consumidos crus.

Você já tentou meditar alguma vez? Simplesmente parar os pensamentos e contemplar o momento? Muito da nossa dificuldade em contemplar o aqui e agora é porque recebemos muito estímulos negativos, alimentamos nossa mente com muita porcaria, sendo atraídos por muitas forças-desejos. E por mais incrível que isto possa parecer, um dos fatores de influência da agitação (ou depressão) em nossa mente está no que comemos! Vamos refletir sobre os florais e remédios homeopáticos que são capazes de mexer com nosso humor e psique, apenas com impressões sutis.

Assim como na Medicina Clássica Chinesa, na Ayurveda também é descrito que além de produzir hálito e odor corporal, estas plantas [aliáceos] induzem irritação, agitação, ansiedade e agressividade.  Assim, os aliáceos causam prejuízos físicos, emocionais, mentais e espirituais.

Na década de 1980, em sua pesquisa sobre o funcionamento do cérebro humano, o Dr. Robert [Bob] C. Beck, DSc., descobriu que o alho tem um efeito negativo sobre o cérebro.  Ele descobriu que o alho de fato é tóxico para o homem porque seus íons sulfona-hidroxila  pode penetrar a barreira cérebro-sangue e são tóxicos para as células do cérebro.

O Dr. Beck explicou que, desde os anos 1950 é conhecido que em testes de vôo, quando o alho era consumido pelos pilotos, há redução do tempo de reação por duas a três vezes.  Isto é porque os efeitos tóxicos de alho “desincronizam” as ondas do cérebro.  “O médico de vôo vinha nos cercar todo mês e lembrar a todos nós:”Não ouse tocar em qualquer alho 72 horas antes de voar um dos nossos aviões, porque ele vai dobrar ou triplicar o seu tempo de reação. Você fica três vezes mais lento do que seria se você não tivesse algumas gotas de alho. ”

São por essas razões que as plantas da família Allium tem sido amplamente reconhecida como sendo prejudiciais aos cães, sendo prejudiciais ao sistema gastro-intestinal e neurológico, podendo até destruir as hemoglobinas dos animais.

Na própria medicina ocidental é visto que o alho nem sempre é benéfico. Por possuir um fator muito forte anti-bactericida e anti-microbiana, é amplamente aceito entre os profissionais de saúde que, além de matar bactérias nocivas, o alho também destrói as bactérias benéficas, que são essenciais para o bom funcionamento do sistema digestivo.

Praticantes de Reiki explicam que cebolas e alho estão entre as primeiras substâncias a ser expulsas pelo organismo da pessoa – junto com o tabaco, álcool e medicamentos farmacêuticos. Isto torna evidente que aliáceos tem um efeito negativo sobre o corpo humano e devem ser evitadas.

A medicina homeopática chega à mesma conclusão quando se reconhece que a cebola vermelha produz uma tosse seca, olhos lacrimejantes, espirros, corrimento nasal e outros efeitos relacionados com sintomas de resfriado.

Se observarmos a fenomenologia botânica dessas plantas, veremos que o caule delas, ao contrário de todas as plantas, “involuiram” para baixo da terra (escuridão), sendo o que a gente come não é a raiz e sim folhas transformadas (enroladas em bulbos ou dentes). A força da gravidade (que nos prende a matéria) é muito forte nelas. O aroma no qual a tendência natural é subir para as folhas, flores e frutos, nelas descem e se concentram nesses bulbos. Todos os Aliums possuem um elemento sulfuroso (enxofre), permeando o líquido dessas folhas transformadas.

Enfim, em termos medicinais, a questão toda é que pode-se utilizar qualquer tipo de droga para aliviar e eliminar sintomas, entorpecendo sutilmente ou de maneira evidente a consciência da pessoa, mas para a causa da doença verdadeira nada está sendo feito, pois só realmente nos curamos quando compreendemos no que estamos indo contra a Consciência/Coração/Verdade/Natureza e então nos corrigimos no Caminho.

Quando afastamos a consciência do problema, aparentemente nos sentimos melhor, mas ainda estamos ignorando a Verdade sobre a causa do problema que continua em nosso coração. E cedo ou tarde rebrotará. Infelizmente o nosso costume atual (vício) é o de então voltar a entorpecer o organismo e consciência com drogas para sumir com os sintomas novamente, e assim a roda de sofrimento (sansara) continua.

Apesar de ainda não se poder comprovar através da ciência material, através da ciência espiritual pode-se constatar que este conhecimento era observado na origem de todas as religiões, pois essas plantas Allium expelem os seres celestiais (anjos) e atraem seres dos mundos inferiores.

No Hinduismo e Budismo isto ainda é bem observado. Buda numa conversa com seu discípulo Ananda, conhecida como Sutra Surangama, cap. VI, subtítulo “The Three Gradual Steps to Wipe Out Sansàra” (Os Três Passos Graduais para Transcender [Purificar] o Sansara), disse:

“Quais são esses três passos graduais? (Eles são:) a prática que contribui para remover todas as causas acessórias [segundárias]; a prática principal para eliminar as causas básicas [primárias]; e a prática progressiva para parar o crescimento do carma.
Quais são as causas secundárias? Ananda, destas doze espécies, o mundo deve sua existência a quatro formas de alimentação: por comer, tocar, pensar e tomar consciência dos alimentos.
Portanto, o Buda diz que todos os seres vivos dependem de alimentação para a sua estada (em sansara). Ananda, todos os seres vivem se comerem alimentos saudáveis e morrem se ingerirem veneno.
Em sua busca por Samadhi, eles devem se abster de comer cinco tipos de raízes pungentes (i.e., alho, os três tipos de cebolas e alho-poró), se consumidos cozidos são afrodisíacas e se crus causam irritabilidade. Ainda que aqueles que comem possam ler as doze divisões do Sutra Mahayana, eles expulsam os espíritos de vidência (Á ˘ i) nas dez direções que abominam o mau cheiro, e atrairão os fantasmas famintos que lambem seus lábios. Eles estão sempre rodeados por fantasmas, e sua boa sorte irá desaparecer dia a dia em seu próprio prejuízo. Quando esses comedores de raízes pungentes praticam o Samadhi, nenhum dos Bodhisattvas, espíritos videntes e bons espíritos vêm para protegê-los, enquanto o poderoso rei dos demônios aproveita a ocasião para aparecer como um Buda, como se a ensinar-lhes o Dharma, difamando e quebrando os preceitos e louvando a carnalidade, a raiva e a estupidez; em sua morte, eles irão se juntar a sua comitiva, e no final de seu tempo em seu reino, eles vão cair no Inferno.”

No Taoismo e Islamismo isto hoje é visto de forma superficial, não utilizando-se estes alimentos durante as cerimônias e orações no templo/mesquita. Dentro do Sufismo (vertente mística islâmica), alguns ainda lembram que o Profeta Maomé não comia carne, alho e cebola para conversar com o Arcanjo Gabriel.

É bem conhecida dentro do Islã, porém, a história de uma santa Rabia que estava cercada de animais, pássaros… um homem viu, ficou encantado e se aproximou, mas todos os animais fugiram. E então perguntou a santa o motivo. Ela perguntou o que ele tinha comido e ele respondeu cebola. No que ela disse ser o maior tesouro deles.

Ninguém sabia explicar porque ela tinha dito isso, mas com a explicação do Buda tudo faz sentido. Os aliáceos são o elixir do mundo da sensação, um tesouro para os mundos e reinos inferiores.

Existem dezenas de opções para substituir o alho e a cebola, tanto para tempero como para remédio. Inclusive existe até uma árvore nativa brasileira conhecida como Paudalho. Nós utilizamos suas folhas e aprovamos.

Ainda como alternativa medicinal ao alho e cebola para melhorar a imunidade e “curar” os sintomas de várias doenças temos uma planta chamada echinácea, que melhora a efetividade dos glóbulos brancos na luta contra os vírus e bactérias (TUBARO et al, 1987, TRAGNI et al, 1988 e MÜLLER et al 1994). Temos também o próprio própolis que é um poderosíssimo antibiotiótico com vários efeitos terapêuticos.

Diante de todo o exposto, esperamos ter esclarecido melhor sobre os malefícios do alho e da cebola em nossa alimentação (dando alternativas), bem como mostrar como é importante que nós tomemos consciência de nossos alimentos e de nossa vida como um todo.

Sugestões:

Pesquise no google e leia sobre “five pungent plants”.

Algumas fontes de pesquisa para este artigo:

1. www.karinya.com/garlic.htm.

2. Audrey Pavia, The Labrador Retriever Handbook, p. 100.

3.S.H. Lorna Wong, The Unfolding Truth of Man and the Universe, p. 43.

4. www.hinduism.co.za/food.htm.

5. Francine Halvorsen, The Food and Cooking of China, p. 147

6. Daniel Reid, A Handbook of Chinese Healing Herbs, p. 106.

7. Erica White, Beat Candida Cookbook, p. 28.

8. Alan Davidson, The Oxford Companion to Food, p. 331.

9. Richard Gerber, Vibrational Medicine, p. 86.

10. http://web.mac.com/reikinature/Reiki_Nature/The_Five_Pungent_Plants.html

11. http://www.kurma.net/essays/e19.html

12. http://agroflorestacafe-mococa-sp.blogspot.com/2008/09/pau-dalho-gallesia-integriflia.html

28 respostas para O alho e a cebola na alimentação

  1. Ana disse:

    Muito obrigada por toda a explicação e riqueza de informações. Deixei de comer alho e cebola há pouco, mas não tinha ainda nenhuma argumentação sólida sobre o seus fatores prejudiciais!

    • Rafael disse:

      Oi Ana! Quando eu deixei de comer alho também não tive informações tão detalhadas. Agradeço a Deus por ter nos permitido encontrar essas respostas.

  2. Algo bem simples e importante e deve ser observado! eu nunca gostei de alho e cebola passei minha infância chorando que não queria comer kkkkk Graças as verdades da vida, hoje não sou uma estranha no ninho… Gostei muito dos detalhes postado aqui!!! beijos no coração.

  3. ROBERTTA disse:

    OI VENI, EXCELENTE EXPLICAÇÃO SOBRE OS EFEITOS DO ALHO E CEBOLA, AS PESSOAS COMUNS SÓ PODEM ENTENDER QUANDO TEM INFORMAÇÃO E ESSE TEXTO E FONTES ADICIONAIS SÃO EXCELENTES.
    OBRIGADA PELOS E-MAILS
    BJS
    ROBERTTA

  4. Negreiros disse:

    Eu sou viciado em alho e cebola, praticamente cozinho sempre com eles. Me sinto muito bem comento esses alimentos, minha profissão é piloto, mais gostei muito da matéria, vou pensar no assunto.
    Negreiros

    • Rafael disse:

      Dificilmente alguém de nós não é ou já não foi viciado em alho e cebola. Chega a ser cultural. O interessante é a abertura para experimentar ir além, mesmo q seja apenas por um período. O simples fato de se observar numa situação nova e sustentar a força de vontade para ser mais forte q qq habito, costume ou vicio já fez valer a pena a experiência.

      • Perfeito a sua colocação! Temos que desapegar das coisas costumeiras e aprender mais sobre tudo a nosso redor. Os resultados de fato, podem ser + que surpreendentes.🙂

  5. Sempre me senti mal com o odor e o alimento com alho, cebola, alho poró e também BERINJELA E PIMENTÕES…desde infância não aceitava carne..atualmente vejo que não sou diferente…fico feliz! Muito agradecida a todos

  6. cleusa disse:

    Minha mãe tem por costume, há muitos anos, a ingestão de alho cru e sofre dos sintomas acima citados: agitação (depressão), ansiedade extrema; o que me levou a questionar o uso do alho e fez com que eu procurasse na internet os malefícios dessa planta. Grata pelas informações.

  7. recircular disse:

    Gostei do registro cultural sobre a nossa alimentaçao. Mas é mesmo triste se consideramos o fato que as pessoas entopem a comida de condimentos raizes folhas e tudo mais, jogam tudo na panela, fritam, assam, cozinham e fazem verdadeiras loucuras com o alimento, isso buscando um melhor sabor para os ultra mega transgenicos insípidos e sem quase nenhum valor nutricional no final dessa cremação generalizada. Claro esses terríveis alimentos, e ultima categoria que comemos aqui nas terras tropicais do sul Brasil, e por esses alimentos serem tao ruim quase que obrigam a populaçao a cometerem os enormes absurdos no que diz respeito a uma possível consciência alimentar. Tenho certeza quem controla todo esse jogo deve comer só comida fresca e orgânica, temperar pra que, agora o que nao da é todo mundo querer comer caviar… cebola e alho tem de sobra, o problema é o fedor na hora de ca…

  8. Rafael disse:

    Vão negar?
    Propriedades do Alho:

    É lógico que a evidência clínica do valor efetivo do alho, tanto na prevenção quanto no tratamento de inúmeras afecções não se justifica apenas pelo seu conteúdo de minerais e vitaminas. Várias pesquisas têm atribuído seus efeitos terapêuticos pela presença de algumas substâncias. As mais importantes delas, quando o assunto é coração, são:

    * Óxido dialildissulfeto, com capacidade de reduzir os níveis de lipídeos e do colesterol do sangue.
    * Germânio: elemento condutor de oxigênio com ação revigorante e rejuvenescedora, graças à sua capacidade de conduzir oxigênio, agente hipotensores que ajudam a controlar a pressão arterial sem provocar efeitos secundários.
    * Selênio: um mineral protetor do coração, pois ajuda a prevenir a formação de ateromas, de coágulos e ainda normaliza a pressão arterial.
    Para completar o alho ainda tem alicina, a alina, ambas com efeitos antibactericida e antiinflamatório.

    A gordura das artérias, aquela que deve ser eliminada quando em excesso, é chamada de Colesterol e o alho tem as seguintes propriedades:

    · Previne doenças coronárias e circulatórias. Efeito hipotensor devido a vaso dilatação periférica, sobretudo nas pernas, olhos e cérebro. Recomendado para tratar a esclerose cerebral.
    · Previne infartos
    · Reduz a coagulação do sangue
    · Reduz a pressão sangüínea
    · Previne a agregação plaquetária; útil em tromboses e arterioscleroses.
    · Combate infecções bacterianas, viróticas e fúngicas (para tratamento de fungos em dermatofitos que afetam a pele e leveduras, como Cândida Albicans).
    · Diminui o risco de câncer do estômago, gástrico e outros.
    · Reduz os níveis de açúcar e glicose, ajudando no tratamento da diabetes.
    · Efeito hipo-colesterolemiante (tratamento do colesterol).
    · Efeito anti helmíntico suave (Tratamento de parasitas intestinais).
    · Efeito expectorante.
    · Rubesfaciente e vesicante em uso externo.

    Resumo dos 10 benefícios do alho para a saúde:
    – Ajuda a reduzir os níveis de colesterol.
    – Ajuda a reduzir a coagulação do sangue.
    – Ajuda a combater os parasitas intestinais.
    – Ajuda a combater o envelhecimento precoce.
    – Ajuda a reduzir a pressão sanguínea (tensão alta).
    – Ajuda a limpar os pulmões (tem efeito expetorante).
    – Ajuda a reduzir os níveis de açúcar no sangue (diabetes).
    – Ajuda a prevenir problemas cardíacos (infarto ou enfarte).
    – Ajuda a combater infeções bacteriológicas e inflamações.
    – Ajuda a prevenir o cancro ou câncer do estômago e gástrico.

    • Rafael disse:

      Claro que não vamos negar🙂

    • Margareth Luisi disse:

      O alho é considerado um potente antibiótico e realmente é ótimo para saúde; no entanto, é importante salientar que não devemos tomar antibiótico todos os dias. Nosso organismo necessita de substâncias com qualidades Rajas (que nos traz energia e movimento, em excesso agita e inflama) e Tamas (que nos acalma, em excesso embota), mas de uma forma equilibrada. O equilíbrio ou os excessos dessas qualidades são perceptíveis inclusive pela forma como a pessoa se expressam e agem.
      Neste caso, um bom exemplo é a Coca Cola que tb tem suas funções terapêuticas. Não é à toa que essa pode ser usada por
      um piloto, na falta de algo melhor, para salvar uma vida!

  9. edson bagda disse:

    concordo com as colocaçóes do rafael adoro alho e cebola, tem me ajudado muito para manter meu colesterol e triglicérides dentro dos limites colocados pela medicina ( com o consumo ) me mantenho dentro dos valores , e me sinto muito bem .

  10. mustafa kulanda disse:

    Obrigado pela informacao mas cada vez mais as informacoes sobre a saude tenhe nos deixado perplexo porque aqui fala se que a cebola e alho nao presta mas a minha mama melhor o seu problema de hinpertencao e algumas infecoes com cha de alho e cebola como pode ser se voces dizem que faz mal

    • Rafael disse:

      É isso mesmo Juelma, o alho e a cebola fazem bem pro nosso corpo físico, mas em detrimento do mental-espiritual. É só fazer um teste, durante um mês vc pode comer todos os dias alho e cebola, no outro mês fique sem comê-los. Escreva num diario observando suas ações, emoções e pensamentos, como vc reage as situações adversas q vc tem atraido no dia a dia… Então compare.

      • Miracilda disse:

        alho cebola roxa e mel td junto faz mal para saúde?

      • Rafael disse:

        Sérgio, de um ponto de vista material eles são ótimo para a saúde, mas de um ponto de vista espiritual eles são péssimos, pois dificultam nossa prática espiritual, impedindo o despertar de nossa consciência superior (divina).

  11. celso disse:

    Estou fazendo o uso de alho,cebola e mel há 9 dias nâo sei como se continuo ou paro vou decidir. Estou com as carótidas com entupimento e tambem as coronaris.

    • Rafael disse:

      Amigo Celso, sugiro ver os filmes (documentários) “troque a faca pelo garfo” e “o milagre gerson”. Vão te dar uma luz. Boas melhoras.

  12. rodrigo disse:

    “A força da gravidade (que nos prende a matéria) é muito forte nelas”. Hein?

  13. Alessandra disse:

    Por favor, pode me indicar aonde encontrar as folhas de pau d’alho? Esto pesquisando na internet mas não está sendo fácil. At;e agora não encontre nada. Parece que vou ter que plantar a árvore.. : )

  14. lucas disse:

    Eu costumo comer cebola, alho e ainda pimenta crus!!! E sempre que como me sinto bem!!!
    Nada que jah fez me impedir de comer isso. Portanto nao vejo problema algum em consumir algo que me faz bem paicologicamente e fusicamente…sabendo de todos o beneficios deles. Mas uma pergunta…a vontade assidua de comer esses alimentos indicam quais niveis de energia?

    • Rafael disse:

      Lucas, o alho e a cebola tem esses poderes, eles fazem nos sentir muito bem física e energeticamente, aumentando a força do nosso sistema imunológico. A vontade assídua de comer esses alimentos podem revelar que eles se tornaram um vício. Muitas de nossas doenças são reflexos de um conflito da nossa consciência superior com algum mau hábito (ação reiterada) que estamos tendo; são como alertas que nos fazem despertar espiritualmente para corrigirmos nossos maus hábitos. O alho e cebola impedem ou dificultam a sintonização de nossas ações com a nossa consciência superior, prevalecendo nossa consciência inferior que é mais materialista, ligada aos chackas inferiores (entre eles o sexual). Assim, não percebemos (ou percebemos pouco) nossos erros, psicologicamente não entramos (ou entramos pouco) em conflito com nossa consciência superior, não sentindo (ou sentindo pouca) culpa e arrependimento, ficando menos doente fisicamente, mas em detrimento do despertar de nosso espírito de compaixão e misericórdia.

  15. Como cabeça a cabeça e Meia de alho cru por dia durante 4 dias por semana – sáb dom e seg e terça feira. Já lá vão alguns anos.Tambem como uma cebola por dia há cerca de 2 meses. As análises estão sempre boas. Mas tenho 64 anos. Bebia cerca de 6 a 10 whiskies por semana há 3 anos. Neste momento sinto problemas mentais. Estou na dúvida se foi ou não o alho ou o whisky. Penso que foi o whisky. Vou deixar de bebê-lo. Ajudem se puderem. O meu recorde é 10 cabeças de alho cru a uma refeição de tamanho pequenas. Há dias que como 2 cabeças de alho das grandes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: