A carne fez evoluir o cérebro humano??? [revisado]

Freqüentemente, ouvimos pessoas dizer que se não fosse o consumo de carne nosso cérebro não evoluiria.

Respeitamos todo o esforço dos cientístas em suas pesquisas tentando nos esclarecer essa questão, por isso não vamos aqui nos contrapor a qualquer teoria existente.

Até porque temos consciência de que para um mesmo dado da realidade sempre haverão várias interpretações e pontos de vista.

Gostaríamos de citar dois grandes pesquisadores científicos, filósofos, artístas… Goethe e Rudolf Steiner, que foram bem profundo em suas observações de fenomenologia estrutural da natureza e a evolução de seus reinos mineral, vegetal, animal e humano.  Rudolf Steiner inclusive fez um estudo envolvendo a evolução das civilizações humanas durante o tempo, considerando aspectos como a alimentação e a consciência presentes em cada civilização, as mudanças quando passou-se a consumir leite, depois ovos, mel, sal, carne, açúcar… Este estudo é sintetizado e citado no compêndio “Novos Caminhos de Alimentação” da Dra. Gudrun Burkhard.

Em outra postagem já transcrevemos parte dessa síntese. (Depois com tempo colocaremos o link aqui para ficar mais fácil encontrar)

Segue também um link de um estudo sobre A EVOLUÇÃO DA CONSCIÊNCIA HUMANA DOS PRIMÓRDIOS ATÉ A ÉPOCA ATUAL (http://www.conscienciologia.pro.br/artigos_congressos/02.pdf)

É evidente que a alimentação tem sua influência na evolução do cérebro, da consciência e do corpo como um todo. Podemos ver um exemplo claro que é o da abelha rainha que originalmente nasce de um ovo igual às operárias, todavia durante toda sua vida a abelha rainha se alimenta de geléia real, enquanto as operárias apenas nos primeiros dias se alimentam de geléia real e depois se alimentam de mel e pólen. E em função desta alimentação, a abelha rainha adquiri características e capacidades especiais, as quais as operárias não as possuem. Por exemplo, a abelha rainha tem seu corpo 2~3 vezes maior que as operárias; enquanto que as abelhas operárias vivem de 30~45 dias, a abelha rainha vive cerca de 4~5 anos, ou seja, tem uma vida 50~60 vezes mais longa do que a das operárias; e ainda, a abelha rainha é a única capaz de fecundar diariamente de 1.500~2.000 ovos. (ver: http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI228521-17770,00-CIENTISTAS+DESCOBREM+PROTEINA+QUE+TRANSFORMA+ABELHA+EM+RAINHA.html  e http://www.mnpropolis.com.br/produtos_geleiareal.asp)

Temos aí um exemplo claro da importância da alimentação em nossa formação.

Para a formação do tecido cerebral são necessários aminoácidos que podem vir tanto da proteína animal como da vegetal. Independente da fonte, estando eles presentes, a construção do tecido será boa e realizará sua função.

Queremos então mudar um pouco o foco para percebemos outro elemento evolutivo aparentemente oculto e que está diretamente relacionado a alimentação: o cuidado à prole. Até porque quanto maior o cuidado em relação à prole, melhor também será a alimentação dada no período de formação do cérebro.

Vejamos: quanto mais as mães e os pais amam, nutrem, cuidam e se sacrificam pela prole, mais ela evolue!

Assim, o amor refletido no comportamento é a maior causa seletiva de evolução no reino animal e humano. A evolução dos hominídios para o homem foi extremamente rica em transformações. Um dos aspectos mais significativos do comportamento hominídio foi o aumento gradual do tempo despendido para os cuidados à prole.

A instituição do cuidado à prole, marcante em todos os mamíferos, permitiu um decréscimo da mortalidade ao “acaso” (acidental e casual). A sobrevivência da prole passou a depender cada vez mais da qualidade do cuidado dado pelos pais.

Se observarmos toda a evolução no reino animal, veremos cada vez a fêmea (mãe)  acolhendo, nutrindo, cuidando e se sacrificando mais pelos filhotes. E quanto maior o cuidado, menor é a quantidade de filhotes numa gestação, bem como a gestação passa a interiorizar-se na mãe (mamíferos).

Na evolução, o aumento do tamanho do cérebro induzido pela prática de cuidado à prole  requereu um aumento do período de amamentação e desenvolvimento dos filhotes e, conseqüentemente, um aumento do período durante o qual é necessário o cuidado materno. Esse desenvolvimento reforça o valor seletivo do cuidado à prole (amor) na evolução das espécies.

Concluindo, sem dúvida que a alimentação é importante e atua na formação de nosso cérebro, outrassim o que nos faz evoluir não é necessariamente a energia dos alimentos, mas sim como transformamos esta energia em amor, servindo nossos descendentes, cuidando das gerações futuras!

7 respostas para A carne fez evoluir o cérebro humano??? [revisado]

  1. Anonymous disse:

    Bom texto. Porém, achei uma contradição. Você diz que:

    “Alguns cientistas então passaram a argumentar que o lóbulo frontal do cérebro, responsável pela razão, é o motivo do homem se diferenciar tanto dos macacos. Todavia, estudos comprovam que a proporção do lóbulo frontal em relação ao cérebro, por incrível que pareça, não é a do homem a maior, mas sim os orangotangos.”

    Mas no parágrafo anterior você lembra que tamanho não é documento quando se trata de inteligência. O que está em questão é o desenvolvimento do lobo frontal, e não seu tamanho. Então creio que você comparou o incomparável.

    Outra coisa: Sobre a atenção dedicada à prole: Não creio que isso tenha sido O FATOR de maior importância na evolução humana. Você teria os dados de outras espécies com longos períodos de cuidado parental?

    • Rafael disse:

      Olá amigo, grato pela contribuição. Realmente não ficou bem clara a concordância sequencial entre as frases.
      A ideia que quis passar em “Alguns cientistas então passaram…” foi de mostrar uma sequencia de fatos, primeiro se comparava o tamanho total do cérebro para tentar explicar a diferença de inteligência entre as espécies, mas como a teoria não teve êxito quando compararam os cérebros dos primatas, então depois passaram a comparar o tamanho do lóbulo frontal para tentar explicar a maior inteligência, porém ainda assim a teoria não se comprovou.
      Seguindo sua sugestão, vou acrescentar antes dessa frase “Depois disso, alguns cientistas…”.
      E antes da citação anterior a essa frase colocarei “Como conclui a pesquisa científica citada logo abaixo:”
      Por gentileza, diga-me se com esses adendos ficou mais claro e não parecendo mais contraditório.
      Sobre os longos períodos de cuidado parental, somente a partir do homem podemos dizer que é longo. Podemos observar o tempo que demora o homem em relação aos animais para começar a andar, necessitando o homem nesse período de maiores cuidados, sendo que durante isso o cérebro continua a se desenvolver bastante. Enquanto que nos animais o cérebro nesse período não se desenvolve mais tanto; até pq logo começam a se locomover e para se desenvolver mais o cérebro é preciso do corpo ficar mais em repouso. Por isso os bebês e filhotes dormem mais que os adultos. Podemos observar que isso ocorre muito mais no ser humano.
      Desculpe se ainda não consegui explicar bem. Não sou perito no assunto. De maneira alguma quero dizer que o amor foi o único fator de evolução, existem milhares de pontos de vistas, apenas quero aqui mostrar um ponto de vista um pouco mais profundo.

  2. Lili disse:

    Muito bom seu blog!

  3. Pedro Ubiratan disse:

    Pensei que iria ler algo descente com o minimo de embasamento cientifico e leio uma tonelada de baboseiras sem estudo nenhum de caso, dos primatas justamente os que sao carnivoros sao os mais inteligentes.. vide Chimpanze e o macaco prego.. o Homo-Sapiens teve mais sucesso na sua evolucao mas nao da pra desmerecer a evolucao desses outros animais. Ja os outros animais que comem mais carne ainda primeiro tem q ser considerado que nao sao primatas e eh bem complicado comparar especies tao distintas assim, acho interessante quando for atacar uma pesquisa ter algum tipo de base para nao falar tanta besteira.

    • Rafael disse:

      Desculpe Pedro, você tem razão. Não tenho conhecimento científico sobre o assunto e também fui infeliz em atacar a interpretação dada as referidas pesquisas. Quando escrevi essa postagem eu tinha acabado de ser ofendido por uma pessoa e ela tinha entre outras coisas argumentado dessa teoria de que a carne fez evoluir o cérebro humano. E ainda influenciado por aquela emoção do momento então escrevi esta postagem como resposta. Agora percebo que acabei sendo tão arrogante quanto aquela pessoa. Obrigado meu amigo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: